Artigos

 

         MENSAGENS EDUCATIVAS POSITIVAS     

 

 

 

 TEMA: CRIANÇAS, QUE FUTURO? 

Prezado/a internauta

    O que nós adultos precisamos fazer para que as crianças de hoje venham a ser, no futuro, adultos de qualidade, pessoas saudáveis e felizes?

    Este é o assunto do artigo "Crianças, que futuro?" que irá ler. Neste site há vários outros artigos sobre educação saudável de crianças.  E veja, em especial, os dois livros: "Criança Feliz, Adulto Feliz", para formação saudável de crianças e "Disciplina e a Educação para a Cidadania", livro de orientação para educadores e pais, para a formação da cidadania responsável e equilibrada.

    Um abraço fraterno, no ideal de uma melhor sociedade humana,

    Antonio de Andrade

    Lorena, SP , Brasil

Contato pelo e-mail opcao@editora-opcao.com.br

  

CRIANÇAS, QUE FUTURO?

Antonio de Andrade

        No Brasil, todo ano, no mês de outubro, a criança é o foco de atenção de todos, com a comemoração do "Dia da Criança". E é para os adultos, uma época de reflexão sobre o futuro das crianças de hoje. A criança de hoje, já dizia uma poesia, é a esperança do futuro. Quando as crianças se tornarem adultas, certamente dirigirão o mundo daquela época, pois uma grande parte dos adultos de hoje já terá partido deste mundo, deixando o comando aos novos adultos. O mundo de amanhã pertence às crianças de hoje. Mas que tipo de adultos elas serão e que futuro terão?

      É de importância vital a responsabilidade dos adultos para que as crianças possam desenvolver-se como seres humanos mais saudáveis e felizes, desenvolvendo as suas potencialidades e aprendendo a conviver de modo sadio e equilibrado com as outras pessoas. No futuro, as crianças de hoje serão adultos melhores, se os adultos, em especial os pais e os educadores, fizerem desabrochar nas crianças as melhores características como seres humanos, características positivas como por exemplo: alegria, altruísmo, autenticidade, bondade, caridade, cavalheirismo, coerência, compreensão, confiança, consideração, constância, cooperação, cordialidade, desprendimento, disciplina, eficiência, empatia, entusiasmo, equilíbrio, espontaneidade, firmeza, fortaleza moral, generosidade, honestidade, humildade, idealismo, independência, integridade, intimidade, lealdade, liberdade, moderação, motivação, naturalidade, otimismo, paciência, perseverança, respeito aos limites e regras, responsabilidade, sabedoria, sensibilidade, simpatia, sinceridade, simplicidade, tolerância, etc.

      Os adultos de hoje têm em suas mãos o futuro das crianças, e poderá haver um futuro melhor para esses seres humanos, dependendo das ações dos adultos de hoje. É como dizia Salomão: "Ensina a criança no caminho em que deve andar e até quando envelhecer não se desviará dele"(Prov. 22:6). Mas como os pais podem ajudar as crianças de hoje a serem adultos mais equilibrados e felizes no futuro? Tendo atitudes adequadas que contribuam para um sadio desenvolvimento dessas crianças. Desenvolvendo nelas uma auto-imagem positiva em relação ao que cada uma pensa de si mesma e como se relaciona com os outros. Isso é importante porque afetará o comportamento delas durante toda a sua vida, contribuindo para que obtenham bons e melhores ou maus e medíocres resultados, em todas as suas ações e em seus relacionamentos.

      Quando os pais e educadores têm atitudes onde estão presentes os estímulos de aceitação, de confiança e de amor, representados em mensagens de felicidade, de alegria, de entusiasmo, de confiança, enfim, mensagens de vida, eles estarão levando a criança a ter uma auto-imagem positiva. Mensagens como, por exemplo: "Amo você, como fico feliz de você ter nascido meu filho/a", "Parabéns, está muito bom isso que fez", "Você é inteligente e uma boa criança", "Sei que você é capaz de fazer, tente de novo".  Já os pais e educadores que dão à criança mensagens negativas, depreciativas ou agressivas, certamente estarão formando na criança uma auto-imagem negativa. Mensagens negativas como, por exemplo: "Não adianta tentar, você não é capaz de fazer", "Desça já daí! Você não tem capacidade para subir aí!", "Como você é incompetente e burra!", "Como você é lerda para aprender!", "Você é uma criança má!", "Burrice igual à sua eu nunca ví!"  E a carga de estímulos negativos que os adultos, pais e educadores, dão às crianças, é geralmente muito maior do que os estímulos positivos. Um grande desperdício de oportunidades para se formar crianças saudáveis e felizes e que no futuro possam, como adultos mais equilibrados, contribuírem para uma sociedade melhor...

      Ainda é tempo de os adultos de hoje, realizarem mudanças, tendo  atitudes adequadas, para formarem melhores crianças e no futuro, uma sociedade melhor. Mudar as atitudes e se fazer presente, na vida da criança, conhecendo os interesses dela, valorizando os seus acertos e quando ela errar, criticar a situação, a ação que ela fez e nunca a pessoa, procurando ser sempre coerente com a criança. Atitude de firmeza mas com um coração enorme. Mostrando amor, aceitação e confiança nela. Estímulos de amor, no falar ou no agir, um abraço, por exemplo, nunca é demais. A criança precisa aprender as regras de um conviver sadio, ela precisa aprender os limites que existem, caso contrário, poderá vir a ser uma criança do estilo que acha que "pode tudo" e em casos extremos, poderá enveredar por atos de vandalismo, agressividade ou até em crimes.

      Ainda há esperança de que as crianças possam aprender, com os adultos, a serem mais saudáveis e felizes, vindo a ser melhores seres humanos. Vai depender muito de cada adulto de hoje, de você, de mim, de cada um. Aproveite a Semana da Criança e o Dia da Criança e comece a fazer alguma coisa de positivo. Ainda há esperança de se  mudar, para melhor, o rumo e a marcha da sociedade humana!

...............................

* Relacionado ao tema deste artigo, leia no site www.editora-opcao.com.br, outros artigos: "Criança Feliz, Adulto Feliz", "Filhos, troquem de lugar com seus pais", "Pais, troquem de lugar com seus filhos", "Pais, o futuro da sociedade nas mãos", "Criança feliz não será adulto violento", "Pais, o que fazer para ter filhos felizes", "Pai ideal: firmeza com coração", "Voltar a ser criança","Prá que serve o papai?", "Educação, as qualidades urgentes!", "Não agüento mais essas crianças!, "Educação para um mundo melhor: firmeza com coração" e "Crianças, da anomia à autonomia". E veja em especial, para formação equilibrada das crianças, dois livros do autor Antonio de Andrade: "Criança Feliz, Adulto Feliz" e "Disciplina e a Educação para a Cidadania".

          


 

   

Home

 



É autorizado o uso do artigo, por quaisquer meios, com a indicação do autor e do site.