Artigo: Histórias de Natal

      Quando o final de um ano chega, as pessoas começam a sentir uma sensação de otimismo e uma expectativa de um futuro melhor, de uma vida mais feliz. É o sentimento da esperança renovado a cada ano, no coração das pessoas, com o espírito que o Natal traz. 

    Para o leitor refletir sobre esse sentimento de esperança, apresentamos algumas histórias sobre o Natal.


  A ESPERANÇA RENOVADA  
(autoria desconhecida)

      Era uma vez milhões e milhões de estrelas no céu. Havia estrelas de todas as cores: brancas, lilás, azuis, prateadas, douradas e vermelhas. Um dia procuraram o Senhor Deus todo poderoso, o Senhor do Universo e Lhe pediram: - Senhor, gostaríamos de viver na Terra, entre os seres humanos.

      - Assim será feito, disse Deus, conservarei a todas vocês pequenininhas como são vistas da terra e podem descer até a Terra onde vivem os seres humanos.

      Conta-se que naquela noite houve uma linda chuva de estrelas. Algumas se aninharam nos píncaros das igrejas, outras foram pegar corrida com os vaga-lumes no campo, outras se misturaram nos brinquedos das crianças e a Terra ficou maravilhosamente iluminada.

      Passado, porém, algum tempo, as estrelas resolveram abandonar os seres humanos e voltar aos céus, deixando a terra escura e triste.

      - Por que voltaram? - perguntou Deus à medida que chegavam.

      - Senhor, não nos foi possível permanecer na Terra. Lá há muita miséria, muita desgraça, muita fome, muita doença, muita violência, muita guerra, muita maldade e muito egoísmo nos seres humanos.

      E o Senhor Lhes disse: - Claro, o lugar de vocês é aqui no céu. A Terra é um lugar transitório, do que passa, do ruim, do que cai, do que erra, do que morre, onde nada é perfeito. Aqui no céu é o lugar da perfeição, onde tudo é imutável, onde tudo é eterno e onde nada perece.

      Depois de chegarem todas as estrelas e conferido o seu número, falou Deus:

      - Mas está faltando uma estrela. perdeu-se ela pelo caminho?

      Ao que um anjo que estava perto, retrucou: - Não, Senhor! Uma estrela resolveu ficar com os seres humanos. Ela descobriu que o seu lugar é exatamente onde existe imperfeição, onde há limites, onde as coisas não vão bem.

      - Mas que estrela é esta?

      - Por coincidência, Senhor, era a única estrela desta cor.

      - E qual é a cor desta estrela? - insistiu Deus.

      E o anjo disse:

      - A estrela é verde, Senhor. A estrela verde do sentimento da esperança. E quando olharam para a terra, a estrela verde já não era uma só. A Terra estava novamente iluminada porque havia uma estrela verde no coração de cada ser humano.


  NATALIDADE  
(autoria desconhecida)

Lei nº 025 de 25 de dezembro de todo ano - Belém, D.C.
Dispõe sobre normas a serem vividas por aqueles que um dia, guiados por uma estrela, chegaram a um estábulo deixando-se cativar pelo recém-nascido que ali estava. A partir da presente data, entra em vigor a seguinte Lei:
Art. 1º - Todos os homens devem se respeitar mutuamente.
Parágrafo Único - É dever de todos promover a paz e uma vida mais humana.
Art. 2º - O verdadeiro amor é gratuito, não busca o prazer pessoal e sim o bem e felicidade do outro.
Art. 3º - O Natal não é comércio e troca de presentes. mas um dia em que o perdão e a solidariedade devem se fazer mais presentes na vida de cada um.
Art. 4º - Natal é tempo de acreditar nas pequenas coisas e de nascer de novo.
Art. 5º - A partir da presente data fica estipulado que:
a. nosso sorriso não tem endereço certo.
b. nossas mãos devem carregar os mais fracos e conduzir mãos que tateiam no escuro.
c. nossos pés, caminhar em direção do outro para acolhê-lo.
d. nossos olhos, enxergar a criança faminta, o amigo angustiado, o velhinho desamparado.
Art. 6º - O Natal é Cristo fazendo nascer em cada homem um coração novo com o sentimento da esperança.
Parágrafo Único - Todo aquele que aceitar o Salvador deve libertar-se do homem velho, rancoroso que existe em si próprio.
Art. 7º - O Natal marca o início de uma era onde a Fé, a Esperança e o Amor são os critérios básicos para se construir um mundo melhor.
Art. 8º - Fica decretado que o Natal será como a alegria imensa de vidas que renascem e se renovam.
Art. 9º - O tempo de Natal é o seguinte: 24 de dezembro deste ano até 24 de dezembro do próximo ano.
Art. 10º - Esta lei entrará em vigor a partir do momento em que as pessoas tomarem conhecimento da mesma.
Art. 11º - Faça cumprir e revoguem-se todas as disposições em contrário.
Parágrafo Único - Feliz Natal! Hoje e sempre!


  UM NATAL DIFERENTE  

      As mensagens de Natal prometem (se nós deixarmos) um mundo de amor, de paz e de calma. É o amor fraterno que reina por um curto dia de cada ano, quando as pessoas celebram, dando, repartindo, abrindo mãos e corações uns para os outros, como amostra de como as vidas dos seres humanos poderiam ser, se todos os dias fosse uma outra festa de Natal.

      Esta história verdadeira, contado por certo autor desconhecido, conta um Natal celebrado com pouquíssimo dinheiro e muito amor e imaginação. Foi assim que uma Sra. chamada Maria Júlia contou, o que ela chamou "O Nosso Natal Mais Rico"

     "Quando o nosso filho Julinho tinha seis anos, estávamos atravessando um período de má situação financeira e só podíamos comprar o indispensável para viver. Alguns dias antes do Natal, dissemos a ele que não poderíamos comprar presentes nas lojas, para nenhum de nós. Mas com imaginação e amor poderíamos brincar de presentear uns aos outros. Assim, nós combinamos que cada um desenharia o presente que gostaríamos de dar aos outros da família. A ideia agradou e a partir desse dia começamos a trabalhar em segredo com muita alegria e sorrisos misteriosos.
     Um carro verde para o papi. Uma pulseira e uns brincos para mim. Para o Julinho os presentes eram aqueles que recortávamos de algumas revistas. Os melhores presentes para ele foram um tenda de brincar de índio e uma piscina de plástico, desenhadas pelo papai. O presente melhor do papi para mim foi a nossa casa dos sonhos, pintada à aquarela, branca, com janelas verdes e touceiras de flores no jardim. E o papai recebeu um punhado de versos meus, inspirados nas coisas tristes e acontecimentos alegres das nossas vidas.
     Naturalmente não esperávamos nenhum "melhor presente" do Julinho. Mas, com gritinhos de alegria, ele entregou um desenho grande, feito por ele, com lápis de cor, dentro da mais pura "técnica surrealista". Era sem dúvida um grupo de três pessoas rindo: um homem, uma mulher e um menininho. Tinham seus braços entrelaçados uns nos outros de tal forma que pareciam uma só pessoa. Embaixo do desenho, ele escreveu apenas uma palavra "Nós". Foi, sem dúvida, um Natal de Amor!"

 

  SONETO DE  NATAL 

(Machado de Assis) 

Um homem. - era aquela noite amiga,

Noite cristã, berço do Nazareno, -

Ao relembrar os dias de pequeno,

E a vida dança, e a lépida cantiga,

      Quis transportar ao verso doce e ameno

      As sensações da sua idade antiga,

     Naquela mesma velha noite amiga,

     Noite cristã, berço do Nazareno.

              Escolheu o soneto... A folha branca

              Pede-lhe a inspiração;

             mas frouxa e manca,

            A pena não acode ao gesto seu.

                     E, em vão lutando contra o metro

                    adverso,

                    Só lhe saiu este pequeno verso:

                   "Mudaria o Natal ou mudei eu"?

 

  VOTOS DE UM ANO NOVO FELIZ... 

(Autoria desconhecida)

Que você possa olhar para trás, nos dias que passaram deste ano, e agradecer as belezas e emoções que a vida lhe apresentou.

Que continue a alegrar-se com as pessoas que convivem com você, olhando para elas como pessoas realmente importantes em sua vida.

Que a tristeza, a solidão e as dificuldades passem pela sua porta, mas não tenham coragem de entrar em sua casa e coração.

Que cada dia, seja um novo momento e oportunidade, para dar os estímulos tão necessários para a realização (verbais, amorosos, carinhosos, emocionais e sexuais) àquela pessoa que preenche o seu coração para que, juntos, possam viver como casal, "explosões" de felicidade e alegria de viver.

Que a felicidade esteja ao seu lado, cada instante, dando-lhe a satisfação como o cheirinho e o sabor de pão feito na hora.

Que encontre todos os dias motivos e "fontes de satisfação" para que possa, a cada instante, estar sorrindo para a vida tendo sentimento de otimismo e a expectativa de uma vida melhor, como se sentisse uma brisa refrescante passando pelo corpo quente.

Que a luta pela sobrevivência não tire a sua vontade de viver cada momento com toda intensidade e felicidade, e não fique "guardando para depois" para qualquer dia, aquele "perfume especial" (coisas importantes que podem trazer mais felicidade para você, como uma roupa nova sempre guardada para algum dia usar, um gesto amoroso com alguém que faz seu coração bater mais forte, um sorriso para alguém, etc).

Que a honestidade, tão necessária à sociedade atual, encontre em seus atos a sua medida e sinta-se muito feliz, com sua consciência, por estar "fazendo a sua parte" bem feita.

Que o Natal  seja uma oportunidade de reconciliação consigo mesmo e com as outras pessoas, acendendo em seu coração sentimentos positivos e a vontade de agir e conviver, com elas, com altruísmo, solidariedade, amizade e amor e assim o seu coração não conheça os caminhos que levam ao egoísmo e ao individualismo. 

Que os valores reais da vida, o agir com ética e cidadania não fiquem aprisionados em seu cofre de vida, mas sejam utilizados em todas as suas ações.

Que a ambição e ideais em "ser cada dia mais pessoa com qualidades" tenha o tamanho dos sonhos e imaginações das crianças.

Que a verdade permaneça sempre acima de seus princípios e sinta-se muito bem, como cidadão, pois tem a consciência ética de estar agindo com responsabilidade.

Que a esperança de "ser melhor" e de estar contribuindo para que o mundo e as pessoas também venham a "ser melhores" esteja presente em cada passo de sua caminhada pela vida.

Que a liberdade direcione seu comportamento, de modo que sua vida venha a ser espontânea, livre de condicionamentos negativos, de culpa ou inibição.

Que os medos aprendidos na infância, os modos inadequados do agir com insegurança, inibição, raiva ou dominação sejam vencidos pelos seus ideais e luta diária em "ser mais, uma pessoa melhor e natural, espontânea, feliz.

Que os momentos de dor e tristeza lhe tragam o suave perfume da experiência e do desenvolvimento pessoal.

Que lute com vontade e decisão para alcançar com êxito o horizonte de felicidade que tanto fica sonhando e olhando de longe.

Que as vitórias alcançadas diariamente valham a paz da sua luta.

Que a vida em todas as suas fases lhe recorde o som aconchegante e gostoso de uma cantiga de ninar positiva.

Que o amor lhe ensine a amar, encontrando a realização e felicidade.

Que possa abrir o seu coração para paz, para a bondade, para a "boa vontade" em suas ações  fazendo o bem a todos, o melhor possível.  

Que o novo ano seja mais um degrau em sua vida, a caminho do sucesso e de seu desenvolvimento como pessoa.

Que possa viver o Novo Ano como uma pessoa feliz, muito feliz, sabendo que o criador de tudo que existe no Universo está ao seu lado, para a sua felicidade. Como bem expressa a poesia a seguir, de autoria desconhecida:

Na noite de Natal eu tive um sonho. Sonhei que caminhava pela praia acompanhado do Senhor. E que na tela da noite estavam retratados, todos os dias de minha vida.

Olhei para trás e vi que a cada dia, em que passava o filme de minha vida, surgiam pegadas na areia, um par de minhas pegadas e um par das do Senhor.

Assim, continuamos andando até que todos os meus dias se acabaram.

Então, parei e olhei para trás. Reparei, então, que em certos lugares, havia apenas um par de pegadas. E esses lugares coincidiam justamente com os dias mais difíceis da minha vida. Os dias de maior angústia, de maior medo e de maior dor. 

Perguntei, então: - Senhor, tu disseste que estarias comigo todos os dias da minha vida, e eu aceitei viver contigo. Mas, por que tu me deixaste nos piores momentos da  minha vida?

E o Senhor respondeu: Meu filho, eu te amo, eu disse que estaria contigo por toda a tua caminhada e  que não te deixaria um minuto sequer, e não deixe. Os dias em que tu viste apenas um par de pegadas na areia, foram os dias em que eu te carreguei nos braços... 

 

Artigos e livros do escritor e psicólogo Antonio de Andrade podem ser encontrados no site www.editora-opcao.com.br